Ramiro
Torres

Nado na Corunha em 1973, cidade onde resido a dia de hoje. Diplomado em Graduado Social na Universidade da sua cidade natal. Actualmente, sócio de Algueirada, S. Coop. Galega. Membro do Grupo Surrealista Galego e codirector da revista digital Palavra Comum.

Publiquei obra em revistas como Poseidónia e Agália, participando em vários blogues colectivos e na obra colectiva Áncora no alén, com gravuras de divers@s artistas plástic@s e poemas, dedicada à figura de Urbano Lugrís, em 2008.

A finais de 2012 saiu o meu primeiro livro individual, publicado polo próprio Grupo Surrealista Galego, Esplendor Arcano.

No referente à minha percepção do que é o poético, recolho o dito n'As Escollas Electivas:

"Entender sempre o poético como via (não exclusiva) de conhecimento, como fogo perpétuo disponível no interior do ser humano, a ampliar a Vida numa vidência originária, estranhamente depositada em nós e transportada por meio de uma música verbal desconhecida e, ao tempo, densamente Real.

Em todo caso, os poemas não se explicam, só se transformam em energia obscura em cada leitura, estourando no coração em alquimia fascinante."

[Novembro, 2015]