Centro de Documentación da AELG
55 minutos de silêncio (inédito) - [Texto íntegro]
Lugris, Igor

Deixo-te migalhas de estrelas,
pelas ruas do mundo,
para que tu não percas
os caminhos do meu coração

(No Record, Lisboa, 1997)

 

 

Prendem-se algumhas luzes
na distância
mentres cai o sol

 

***

Conhezo-te
Perder a vista
onde se perde a memória

 

***

Umha tea de aranha
entre os dedos
de quem cala

 

***


Nom é a derrota
É o tempo
o que doe

 

***

Umha noite Umha manhá
um café
Umha rua para andar

 

***


A rua do olvido
A praça do pam
Silêncios rotos

 

***

Só umha voz
Tu nom fas parte
Procura nom existir

 

***

Três vezes três
miras para tras
para nom ver nada

 

***

Uns quantos mortos
Sobem as acçons
Ainda existe o mundo

 

***

Habito-me
porque nom tenho outro sítio melhor
onde ir

 

***

Chove tranquilamente
mentres se passam
as horas as pessoas

 

***

Vou dizendo palavras
só escoito vozes
estranas e mudas

 

***


A realidade Os desejos
Esta pequena rua
sem fim

 

***


Alguem pecha os olhos
Nom há já salvaçom
possível

 

***


Som poucas cousas
Transportam-se fácil
só uns recordos

 

***


Vai-se a luz
Chega a noite
Também nada

 

***


Umha cervejas na mesa
algumha mesa
e umhas luzes

 

***


Equivocache a palavra
ou o lugar
ou a cor

 

***


16 horas
90.000 pesetas
o futuro chama-se presente

 

***


Aindas ouves palavras
que já
nom significam nada

 

***


Silêncio Noite
No horizonte
movem-se luzes pequenas

 

***


Busco na memória
Nada salvará já
esta soedade

 

***


Fico aquí
Ainda nom perdim
todas as esperanças

 

***


Mares que desconheço
Montanhas
às que nunca fum

 

***


Chovia
Nom atopei os caminhos
que tu debuxache

 

***


Qualquer cousa
pode ser
aquilo que nos falta

 

***


um caminho
Todos os passos
som a história

 

***


Duas palavras
Um rio
Tempo que se passa

 

***


Mais um dia
Sigue chovendo
Esquecim cousas importantes

 

***


Lembro os olhos
o rio
a tua voz

 

***


Saberei dizer palavras
novas
se abro os olhos?

 

***


No future
Mesmo a morte
é umha legenda

 

***


Nom poderiamos
ter outro nome
Nom seriamos nós

 

***


As pedras
Isso é que está
vivo

 

***


Todas as palavras
estám aí
Nessa praça

 

***


Perdim o vento
o tempo
os caminhos

 

***


Desejos que venhem
que vam
que dessaparecem

 

***


pecham a porta
Mercam as palavras
Dessapareces

 

***


Nom fales
Nom tes luz
Nom existes

 

***


Nom todo o que buscas
está
aquí

 

***


Digo palavras
e digo
só palavras

 

***


Linhas versos cores
Pedras rotas
Silêncio

 

***


O tempo
As palavras
A memória

 

***


Umha mirada
Duas maos
Sonhos Delírios

 

***


Sombra
Umha boa árvore
Chegas tarde

 

***


Novos avions
bombardeiam
com velhas ideias

 

***


Luas redondas
Grandes
como silêncios

 

***


Palavras
som todo palavras
inúteis

 

***


Fora
está
quem nom cabe

 

***


Novas guerras
velhas luitas
cadáveres

 

***


Ruas
que vam
e venhem

 

***


Palavras
rotas
sem sentido

 

***


Alguem decide
Ficas
fora

 

***


Busco silêncios
Atopo
soedades

 

***


O ceu
roto
emudece

 

***


Vai
Vem
Esquece

 

***


Isolar
Arrasar
Avançar

 

***


Enganan-nos
sempre

 

***


Nem isso

 

***


Chegarmos tarde

 

***


Ainda

 

*** ***